PELO PLANETA
 

Você acredita que é possível ser ecologista, defender o meio ambiente e comer carne ao mesmo tempo? Então pense em tudo isso mais uma vez após ler os fatos listados abaixo.

  Com a manutenção da criação animal industrial, utilizamos recursos naturais e agrícolas preciosos para a produção de vários tipos de carnes, frios, ovos e laticínios. Nesse processo, não apenas desperdiçamos nutrientes como: proteínas, carboidratos, fibras e vitaminas, mas deixamos um rastro de destruição com a poluição do ar e das águas e a devastação dos ricos ecossistemas florestais. Trata-se de uma cultura de extremo desperdício de recursos naturais que o planeta não poderá suportar por muito tempo.

 

As Florestas e o Desmatamento

A demanda elevadíssima de vegetais destinados à alimentação dos animais tem gerado uma diminuição drástica das florestas do mundo.  Metade das florestas tropicais do planeta foi queimada e substituída por pastos para gado de corte. Esta pratica é fato comum, por exemplo, na devastação da Amazônia.

Em alguns casos as queimadas de florestas são feitas para depois haver a produção intensiva de soja. Contudo, o que as pessoas não sabem,  é que a maior parte da produção de soja esta sendo destinada, não aos humanos, mas aos animais que consomem por ano toneladas e mais toneladas desse grão na forma de ração. Os resultados deste quadro para o meio-ambiente são terríveis: cerca de 1000 espécies nativas dessas florestas estão sendo extintas por ano; ; milhares de plantas com propriedades nutricionais e medicinais em potencial são varridas do mapa; entre outras conseqüências.

Seriam necessárias 20 vezes menos terras de plantio, caso não houvessem as plantações industriais voltadas para alimentar o gado de abate, e assim, seriam poupadas inúmeras áreas de Florestas Nativas que hoje desaparecem em meio as queimadas e desmatamento.

Em outras palavras: para alimentar um carnivoro é necessário um terreno 20 vezes maior do que para alimentar um vegetariano puro. Isso lhe parece racional?

 

Poluição das Águas

A quantidade de água potável também esta diminuindo drasticamente como o aumento da criação animal, precisamente no momento que os analistas chamam a atenção para o problema da escassez de água – possivelmente o problema ambiental número um deste novo século. Para produzir ½ kg de carne são necessários 9.463 litros de água, ao passo que para produzir a mesma quantidade de trigo, apenas 94 litros são utilizados. 

Se o Brasil não tivesse água em abundância e fosse cobrado o valor pela água usada durante o processo de obtenção da carne, igual ao que acontece em outros paises, um kilo de carne custaria por volta de R$ 130,00.

 Além disso a indústria da carne polui a água mais do que todas as indústrias de outros ramos juntas, uma vez que os animais criados para abate produzem 130 vezes mais excrementos do que a população humana inteira. Para se ter uma idéia, um abatedouro suíno típico gera excrementos equivalentes a uma cidade com 12.000 habitantes.  

Já se verificaram várias cenas pelo mundo,  de desastres ecológicos em lagos e rios, onde milhares de peixes morrem e ficam boiando e apodrecendo na superfície. 

Sem falar nos curtumes, que ao prepararem o couro para vestuários, derramam na natureza substâncias altamente tóxicas que podem além de contaminar rios e lagos, atingir os lençóis freáticos.

 Você ja ouviu falar do Aqüiforo do Guarani? Uma reserva de água sob nosso solo, uma grande riqueza para a vida  no planeta, pode estar neste momento sendo contaminada sem percebermos.

A criação industrial de animais de abate usa 10 vezes mais água do que a usada para irrigação de legumes e cereais.

As águas pluviais altamente contaminadas vindas dos locais de criação e do esgoto dos matadouros, são enormes fontes de poluição dos rios e córregos.

 Rapidamente está se tornando aparente que os recursos de água doce deste planeta não só estão ficando contaminados mas também estão se esgotando, e a indústria da carne é particularmente responsável por esta estupidez.

 

Poluição Atmosférica e Aquecimento Global

A criação Industrial de Animais para Abate é um dos principais agravantes para a Poluição. Uma imensa quantidade de resíduos tóxicos são despejados diretamente na natureza, além de produzirem gases tóxicos altamente nocivos que poluem a atmosfera.

As queimadas feitas para a criação de pasto e lavouras de cereais, destinadas aos animais de corte, produzem 20% dos gases que contribuem para o aumento do efeito estufa

Além disso, o metano e o dióxido de carbono são os maiores responsáveis pelo estrago que leva ao aquecimento global. O que pouca gente sabe é que os rebanhos bovinos mundias emitem, anualmente, mais de 25% de todo o metano que vai parar na atmosfera. Obra dos gases - sim, do pum! - e dos arrotos do gado. Seria hilário se não fosse trágico. E tem mais: quase 90% das queimadas feitas na Amazônia se destinam a criar gado que vai virar bife na mesa do brasileiro, ou para cultivar soja que será usada com ração de gado no exterior. Essas queimadas emitem mais de dois terços do dióxido de carbono ( CO2 ) que o Brasil despeja na atmosfera todos os anos- e colocam o país entre os quatro maiores poluidores do mundo.

 

Agricultura Vegana

Outros países já usam da consciência ecológica nas suas escolhas e preferem alimentos produzidos sem agrotóxicos ou adubos químicos, e que não foram produzidos mediante o desequilíbrio ambiental (como a prática de queimadas).

Claro que a maioria de nós vivemos em cidades Urbanas, onde dificilmente podemos adquirir produtos nestas condições e sabemos que a “Agricultura Vegana" ainda não tem nenhuma repercussão em nosso país. É exatamente por isso que precisamos divulgar nosso ideal, para que hajam produtores preocupados com estas questões.

Obs: a "Agricultura Vegana” é diferente da “Agricultura Orgânica”, pois esta usa produtos, ditos “naturais”, como sangue, ossos e outros sub-produtos animais para fertilização e tratamento do solo, o que esta longe de ser “Agricultura Orgânica Vegana”.

 

Uso Consciente do Solo

Essa consciência é indispensável para que futuras gerações não encontrem uma terra devastada por queimadas e sem os minerais que a tornam férteis.

O uso de agrotóxicos e adubos químicos vai contra o princípio do veganismo e a agricultura vegana provou que são métodos desnecessários. Frutas e verduras cultivadas com métodos veganos podem ser tão grandes e bonitas quanto aquelas cultivadas sob qualquer outro método.

Um aspecto importante é que qualquer tipo de plantação não deve ser originada num desequilibro ambiental, como as queimadas e o desmatamento.

 

Como ajudar o planeta?

O veganismo propõe que a contaminação da água (rios, lagos, mar e lençóis freáticos), a poluição do ar e da terra (substâncias tóxicas que poluem o solo) devem ser combatidas e a maneira de fazer isso se dá pela nossa escolha na alimentação, no vestuário, no tipo de veículos que usamos no dia a dia etc.  Estude e reflita se o que estamos dizendo faz sentido ou não!